Two Ways

Uma vez, eu fazia um trabalho para meu curso (há alguns anos) sobre a Literatura Inglesa, e o meu grupo, na hora da escolha dos papeizinhos, tirou o autor inglês Oscar Wilde. Confesso que na hora me deu um certo desânimo, motivado pelo meu total desconhecimento do autor. Mas após conhecer um pouco mais sobre ele, eu me apaixonei por sua escrita.

Lemos as Epístolas de Wilde, e de quebra, eu li O Retrato de Dorian Gray, um livro fascinante, e que merece ser lido por todos. Se me permitem um parênteses, no filme A Liga Extraordinária, que reuniu vários heróis de distintos universos, Allan Quartemain, Capitão Nemo, e outros nomes da literatura, não poderia faltar Dorian Gray.

Para quem ainda não leu, O Retrato de Dorian Gray é expetacular e representante digno de toda a genialidade do Wilde.

Mas o que eu mais me apaixonei foi por suas cartas, objeto na época de nosso estudo. Cartas maravilhosas, que fazem qualquer apaixonado se derreter ainda mais. Um autor maravilhoso, é o que eu digo. E desde aquele tempo virei fã dele e de sua literatura.

Por isso, hoje, um momento em que já me peguei lembrando de minha infância, e de todos os desenhos que já vi, dos momentos bons que passei e passo (apesar da dor "nas carcundas" XD), de relembrar TV Cruj e que um dia eu já fui uma Ultra-Jovem e me apoderei da poltrona do papai, que me divertia pakas com Super Patos, Timão e Puma, Pateta e Max e outros mais, eu me lembrei também de minhas leituras (algo que não faço há muito tempo) e desse poema que agora coloco no Blog.

Acho que no momento ele fala muito de mim mesma.

Espero que gostem!


Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo
qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho
questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus
de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há
de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero-os santos, para que não duvidem das diferenças e
peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma
exposta.
Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior
alegria

Amigo que não ri junto não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade
seriedade.
Não quero risos previsíveis nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade
sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a
fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no
rosto e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios,
crianças e velhos, nunca me esquecerei de que
"normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."

Oscar Wilde

Labels:
2 Responses
  1. Retrato de Dorian Grey! *o* Eu lembro que morria de raiva de alguém nesse livro, mas não sei mais se era do próprio Dorian ou de outra pessoa. XD

    (Respondendo à sua pergunta no meu blog, pode pôr link sim, moça! Eu ainda tô brigando com o layout de lá, mas eventualmente pretendo fazer uma coluninha de sites que eu visito também... pode pôr seu blog lá?)

    Beijins! =***


  2. Vamos todos contra esses safados, Passeata Fora Sarney, sábado 15, mais informações visite aqui, http://fabiguaranho.blogspot.com/2009/08/fora-sarney.html


Postar um comentário

Somos frutos de nossas escolhas...
Qual a sua escolha?